28 de Julho 1974


E há 47 anos atrás , precisamente no dia 28 de Julho de 1974, duas pessoas disseram “sim” aos votos do matrimónio, na presença de familiares e amigos mais chegados , numa igreja no concelho da Amadora!

Era o que parecia ser o inicio de uma vida a dois , e creio que até tinha tudo para que desse certo, no entanto não foi isso que aconteceu…

Estas duas pessoas, uma com 17 anos e a outra que tinha acabado de regressar da guerra do Ultramar com 24 anos , tinham a cabeça cheia de sonhos e projetos a dois e de livre vontade disseram o sim . Estas duas pessoas eram os meus pais!

Engraçado , porque eram ambos muito novos e naquela altura como a minha mãe era menor de idade , o meu avô teve que dar permissão para autorizar a celebração dessa cerimónia , mas isso não constituiu um problema , porque ele gostava do meu pai e como qualquer pai que goste dos seus filhos , queria ver a sua filha feliz!

Não sei muito acerca dos 2 primeiros anos do casamento dos meus pais, apenas sei que ao inicio foram morar para casa dos meus avós , mas assim que conseguiram mudaram se para uma casa deles , não muito longe e dentro do mesmo concelho . Terá sido aí que planearam ter um filho , e passados 2 anos , nasci eu , fruto dessa união , desse casamento.

Por questões de conveniência para ambos , mudaram de casa um mês após eu ter nascido, vindo morar para mais perto .Para o meu pai , era melhor pois estava muito perto do trabalho , e para a minha mãe também pois podia contar com a ajuda da família , para ficar comigo.

No entanto creio que esta decisão terá sido a pior que possam ter tomado , porque foi o inicio do fim. Aquele que pareceu ser um dia , um casamento para durar , apenas se manteve por mais ou menos 3 anos.

Até ao triste dia que o meu pai resolveu levar me a casa da sua amante . Com criança que era com três anos , quando contei á minha mãe onde tinha ido , não sabia a gravidade daquilo que lhe estava a contar e que tinha acabado com uma mentira que já durava á quase um ano, o relacionamento extra conjugal que o meu pai tinha com outra mulher…enfim!

Nem sempre a proximidade a um lugar ou a outras pessoas, é benéfica na vida de um casal e na minha opinião foi uma as causas para que o casamento dos meus pais chegasse ao fim, e o que infelizmente contribuiu para que a partir do momento que o divórcio estivesse concluído , a presença do meu pai na minha vida deixou de ser sentida , e eu ganhei outra figura paternal , que me deu tudo aquilo que uma criança necessitava para crescer dentro de uma normalidade, muito amor , dedicação e educação!

Embora tenha sido á 47 anos atrás, este género de situações tem vindo a crescer ao longo do anos , havendo mais divórcios que casamentos , fazendo com que as próximas gerações perdessem a credibilidade no casamento , perdessem a credibilidade em algo que deveria ser vivido a dois, porque no caso da existência de “terceiros ” não irá resultar nunca.

E acabou assim um sonho, uma vida a dois….

Obrigado a todos os que lêem e apreciam o meu blog, vemos nos no meu próximo post até lá um bem haja a todos vós! 🌹💖

7 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s