My interpretation of fearūüė≤


Creio que o medo √© uma presen√ßa constante na vida de todos. Sim, por diversas e diferentes raz√Ķes, todos tememos alguma coisa.

E não é errado sentirmos medo, afinal faz parte da condição de sermos humanos. Não devemos criticar aqueles que dizem sentir medo disto ou daquilo, pois na verdade não sabemos realmente o que vai na cabeça ou na vida de cada um, e ao criticar uma pessoa que em tom de desabafo tenha admitido sentir medo, estaremos a contribuir para que esse medo possa aumentar.

Às vezes é apenas isso um desabafo, e outras uma estranha forma de pedir ajuda. Temos que ter a devida compreensão para saber de certa forma avaliar a situação, e ela torna se mais fácil se conhecermos bem a pessoa.

O medo √© uma p√©ssima emo√ß√£o, sem d√ļvida, contudo ele n√£o tem que ser obrigatoriamente nosso inimigo. √Č poss√≠vel fazer dessa p√©ssima emo√ß√£o, um aliado. Claro que n√£o √© f√°cil, e nem o conseguimos fazer de imediato, mas acredito que seja poss√≠vel. E por me considerar uma pessoa que acredita mais no poss√≠vel do que no imposs√≠vel,√© que vos digo isto.

Não, não sou assim tão diferente, nem mais forte que vocês, também eu tenho os meus medos, obviamente. Contudo devido à minha história de vida, às experiências que já vivi, deixei de permitir que os meus medos que me impedissem de sentir algo muito mais importante que o medo, o acreditar!

E ao ter permitido que os meus medos fossem mais poderosos que eu, mais poderosos que aquilo que eu sempre quis para a minha vida, isso originou uma s√©rie de acontecimentos muito graves e negativos numa determinada fase da minha vida, a qual ainda hoje tenho muita dificuldade em me reconhecer nela. E sinceramente ainda sinto uma esp√©cie de vergonha, por ter mostrado as minhas fraquezas a quem nunca o deveria ter feito, mas j√° consigo ver essa fase de outra forma, as sensa√ß√Ķes de indigna√ß√£o e de culpa j√° s√£o menores, o que tem vindo a fazer parte do processo de me perdoar a mim mesma!

√Č exatamente como escrevi no paragrafo anterior , quando algum acontecimento menos positivo teve lugar em nossas vidas , deveremos antes de mais alguma coisa , perdoarmos nos a n√≥s mesmos . Mesmo que sintamos que a nossa cota parte de culpa n√£o foi muito grande , devemos faze lo para conseguirmos colocar um ponto final , sem deixar alguma ponta solta , pois caso contr√°rio nunca conseguiremos avan√ßar devidamente com as nossas vidas!

Sim √© muito dif√≠cil , mas por vezes √© necess√°rio aprendermos determinadas li√ß√Ķes da pior forma , e como eu costumo dizer , √© preciso caminhar atrav√©s do inferno , para saber dar valor ao c√©u, pode n√£o ser justo , mas quem √© que alguma vez disse que a vida iria ser sempre justa ?!

Ningu√©m! E por isso mesmo, o melhor ser√° juntarmos os nossos medos √°s nossas qualidades e fazer deles os nossos aliados , pois tenho a certeza que at√© o ser humano mais heroico sinta medo. O medo n√£o √© o “bicho pap√£o” , apenas n√≥s possu√≠mos o verdadeiro poder de o transformar num ou fazer precisamente o contr√°rio. Apenas e s√≥ depende de n√≥s daquilo que queiramos ser , cobardes ou corajosos ….

Obrigado a todos os que leem e apreciam o meu blog , vemos nos no meu próximo post ,até lá um grande bem haja a todos vós!

4 coment√°rios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Voc√™ est√° comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Voc√™ est√° comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Voc√™ est√° comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Voc√™ est√° comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s