The diary of a madman-Part XII


O silêncio mortal que se sentia naquela sala chegava a ser incomodativo, pois nem ele parecia pertencer a este mundo.

Os policias forenses permaneciam desmaiados nas mesmas posições estranhas , e o corpo da detetive tinha finalmente parado de rodopiar no ar , tendo o seu corpo caído no sofá , após ter pronunciado aquelas duas estranhas frases. Aqueles olhos sinistros continuavam na parede , mas imóveis , como se fossem um desenho de péssimo gosto.

O homem era o único que estava consciente, mas de nada importava o seu estado pois a sua presença não era sentida por ninguém .Apercebendo se que ainda estava de joelhos e com as mãos em sua cabeça , levantou se devagar porque se sentia muito cansado , como se tivesse acabado de correr uns bons quilómetros. Sentia que tinha que pedir auxilio a alguém que estivesse no exterior no sentido de ajudar, aqueles três profissionais que se encontravam , pensava ele em estado de choque , mas como?!

Não conseguia encontrar uma resposta que lhe soasse lógica ,para aquela horrível situação!

Detestava sentir se impotente , e sem soluções . Dava lhe a má sensação de não ser uma pessoa inteligente e ativa , o que não era a sua realidade. Sabia que as duas frases que havia ouvido , soavam ainda na sua cabeça e que o estavam a impedir de sair daquela sala, pois já controlava novamente os movimentos do seu corpo.

Segredo, segredo…a palavra teimava em ecoar em seus pensamentos . Seus pais eram pessoas muito simples e de origens , humildes. Tinham trabalhado honestamente durante as suas vidas , e tinham proporcionado uma vida boa ao seu filho , não eram pessoas que gostassem de segredos pelo contrário , tinham uma excelente relação com ele , pois sempre houve muito dialogo naquela casa.

Mas algo o empurrava novamente para a parede, onde permaneciam aqueles olhos sinistros.

Sem pensar , dirigiu se até á parede quase em passos de corrida .

Finalmente ali estavam eles , aqueles grandes olhos sinistros !

Levantou a sua mão direita e passou exatamente pelos olhos , com um movimento de muita raiva e ódio á mistura ,sem entender porque os odiava tanto. Ao segundo movimento da sua mão por um dos olhos pintados naquela parede , sentiu debaixo dos seus pés o chão a tremer , e de repente um enorme feixe de luz vermelha o envolveu , provocando lhe uma enorme dor …

Continua…

10 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s