a Tale of the rat and the snake


Olá caros leitores,

Esta é a história de um pequeno rato e de uma cobra ardilosa.

Era uma vez um pequeno rato que vivia alegremente num pardo verde com os outros membros da sua família. Este pequeno roedor passava os dias , trabalhando e quando terminava o seu horário de trabalho , ia com a sua família dar um passeio aproveitando para apanharem pequenas sementes que pudessem encontrar.

Sentia se realizado porque tinha tudo o que um ratinho poderia pedir para ser feliz, casa , família trabalho na sua comunidade de roedores , e este ano pretendia dar o primeiro passo num projeto seu , candidatar se a líder da sua comunidade. Era um membro respeitado por todos , porque destacava se pela sua forma particular e diferente de estar na vida. Não concordava que para garantir a sobrevivência da sua comunidade , tinham que sair daquele prado e pilhar as casas dos seres humanos em busca de alimentos, a mãe natureza era muito generosa e proporcionava a todos , comida suficiente durante todo o ano. Claro que as tarefas estavam distribuídas entre todos os membros , e a cada um tinha sido atribuído um trabalho, uns lavravam a terra plantando , outros iam junto ás vacas que pastavam naquele prado, retirando lhes um pouco de leite , outros faziam queijo , tudo bem organizado e proporcional .

Era uma comunidade bem organizada e coesa nas suas necessidades, e tudo graças ao excelente líder que os aconselhava sabiamente.

Mas naquele prado não existia apenas a comunidade daqueles pequenos roedores , existia uma variedade de outros seres e outras espécies, como é natural em qualquer ecossistema equilibrado. Não muito longe da comunidade dos pequenos roedores , estavam mais duas a dos coelhos e um pouco mais adiante a das cobras. Conseguiam coabitar , mantendo um equilíbrio saudável, porque as cobras são os predadores naturais de ambos os roedores , os coelhos e os ratos . E quando algum dos membros quebrava as regras impostas pelos seus líderes , era severamente castigado , para que a tentação de quebra las, não vira se uma constante . As suas características naturais de predadores , sobrepunham se muitas vezes ás regras ,o desejo de caçar acontecia aos que não se alimentavam corretamente como os restantes membros da comunidade , aumentando assim a fome e distorcendo as suas capacidades de pensar, aumentando os seus instintos naturais .

O pequeno ratinho tinha pedido uma reunião naquele dia , com o líder atual para expor as suas ideias e iniciar a sua campanha , pois o dia da nomeação para o novo líder aproximava se , e ele queria ter a certeza que valia a pena investir algum do seu tempo , neste novo projeto da sua vida. Saiu de casa , despedindo se de cada membro com um carinhoso beijo , e lá segui ele , cantarolando a fim de disfarçar o pequeno nervosismo que sentia. Tinha que atravessar um pouco o verdejante prado , pois os lideres de todas as comunidades estavam junto ao riacho ,era altura de novas nomeações em todas as comunidades , e de forma a garantir a escolha de bons e novos líderes , era assim que procediam nas alturas de novas nomeações.

Um pouco antes de chegar ao riacho , encontrou uma cobra que se encontrava a deslizar num ramo de uma árvore . Era grande , majestosa , de um verde muito bonito , e quase que passava despercebida no meio da vegetação verde. Os seus olhos eram maio amarelados , mas igualmente brilhantes como a sua pele. Foi então que a cobra notou a presença do pequeno roedor , e se aproximou dele para lhe perguntar o que estava ele a fazer afastado da sua restante comunidade. Olhando de forma suspeita para a cobra , o rato respondeu lhe fazendo lhe a mesma pergunta, o que provocou uma expressão de espanto na cara da cobra. Olhavam ambos olhos nos olhos intensamente. A cobra sorriu respondendo ao ratinho que , ela era candidata a novo líder da sua comunidade , por isso estava ali , ensaiando o seu discurso de candidata vitoriosa . Foi então que o pequeno ratinho esboçou também um sorriso , perguntando á cobra , como poderia ela ter tanta certeza que iria ser a candidata eleita.

Ah aquelas palavras soaram como música ao ouvidos da cobra , passando então a explicar através de um pequeno discurso , os porquês da sua certeza . Começou por lhe dizer que naquele momento, era a cobra mais bela de todos os membros , e que para além de sua beleza ela era também a mais astuta , a melhor estratega e a melhor caçadora. Espantado e abanado a cabeça , o ratinho respondeu que nenhuma dessas caraterísticas faziam dela a candidata necessária á sua comunidade, pelo contrário com elas iria quebrar o que existia há muito muito tempo, a quebra da harmonia entre todos os seres daquele prado. A cobra sibilou com sua língua , sorrindo perguntando lhe se ele não a achava bela , e também perguntando lhe se ele não estava farto de tanta harmonia , se não sentia falta da adrenalina e da ação, ao que o ratinho com o sobreolho levantado lhe respondeu que não , que estava feliz por pertencer aquele lugar e que não o imaginava sendo de outra maneira. Lamentando a resposta do ratinho a cobra disse lhe em tom de aviso que não há bem que dure para sempre , e que tempos de mudança se aproximavam e que ela iria fazer tudo por tudo para isso!

Ao ouvir aquelas palavras ,o coação daquele pequeno ratinho estremeceu, pois sentia que aquela cobra iri mesmo fazer o que tinha dito , tudo para causar o caos naquele ecossistema porque estava ansiosa por ação!

17 comentários

Deixe uma resposta para Carla Milho Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s