Healing


Olá caros leitores,

Passar por um processo de cura é algo que não é fácil. Não me refiro à cura de uma ferida na carne, mas sim a uma ferida nos nossos sentimentos e emoções!

Além de ser um longo processo, quando recuperamos, não somos as mesmas pessoas, é impossível não haver alterações nos nossos comportamentos.

A mágoa é algo que nos corroe de dentro para fora, e se não tivermos o devido cuidado, pode ser muito perigoso… Poderemos ingressar num caminho sem volta!

Dizem que o tempo cura tudo, sim ele cura as feridas da carne, mas o outro género de feridas, bem a minha opinião, não é essa. Não concordo que o tempo seja a cura milagrosa para este tipo de situações, quanto muito piora.

Antes de perdoar a pessoa que possa ter causado essa ferida, primeiro temos que nos perdoar a nós mesmos, por termos permitido que essa pessoa nos magoa se. É um pouco controverso, por um lado não devemos passar uma vida inteira sem ter sentimentos por outras pessoas, mas por outro também não lhes devemos dar as ferramentas necessárias para que nos possam magoar.

Então, como podemos fazer isso?

Também eu gostaria imenso de ter a resposta para esta situação.

Tirando aqueles que gostam de sofrer, penso que ninguém gosta de viver uma vida amargurada e sem sentido, vivendo apenas de migalhas que lhes vão sendo lançadas, e desta forma se vão habituando a esse género de vida.

Eu creio que é muito difícil ter dignidade vivendo desta forma, estar constantemente num estado de alerta, e sempre à defesa, cansa, é verdadeiramente esgotante!

Pode causar danos tão graves em nossas personalidades que elas podem mesmo até ser destruídas de uma forma muito negativa e monstruosa. A transformação pode ser tão séria, que quem vira um monstro, somos nós. E isso tem início, quando deixamos de sentir qualquer tipo de emoção, quando falam connosco, quando ficamos indiferentes ao que possa acontecer. É o início do crescimento de um monstro em nossas personalidades.

Aquele que mais se cala, não significa que não esteja a sofrer… Significa que está a começar a deixar de sentir, de se importar.

Aquele que continue a protestar por tudo e por nada, é aquele que ainda se importa, é aquele que ainda sente.

Ainda existe o terceiro tipo, aquele que umas vezes sente, e outras não, umas vezes quer saber e outras não. Esse é aquele que está no caminho da indecisão, mas no caminho de se perdoar a si mesmo.

O caminho da cura nestas situações é um processo muito longo, e requer muita paciência, porque irão haver muitos dias de revolta, muitos dias em que não será fácil ter pensamentos positivos, mas será nestes dias que o empenho terá que ser maior, caso contrário, tudo o que possa ter evoluido positivamente, poderá regredir, e uma recaída, é uma das coisas mais perigosas que podem existir.

Nada nesta vida é fácil, porém deveremos sempre lembrar nos que vale a pena viver!

Espero que continuem a acompanhar o meu blog e a minha escrita, obrigado e um grande bem haja a todos vós! 😊🌹🤗

2 comentários

  1. Someone once said, “no one can hurt me unless I give them permission to do so”. It wasn’t me, unfortunately, though wish it had been at points in the past. It’s true that time doesn’t heal all wounds, and no one can know whether a trust extended today will yield dividends in the future, or regret. When ones emotions are betrayed, striving to garner a positive outlook thereafter, as you’ve noted, can be both difficult yet essential with which to heal. I enjoy your writing and thank you for sharing, my dear friend Carla. God bless you & have a pleasant evening.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s