Mestres da Ilusão


Olá caros leitores,

Avaliação: 4.5 de 5.

O que poderemos considerar vulgar ou não vulgar.Bem irá sempre depender das diferentes perspectivas de cada um,e da forma como cada um encare as inúmeras situações que lhes vão surgindo.

Vulgar significa que não tem nada que o destaque,é algo que é comum frequente,corriqueiro. Não vulgar significa, o oposto.

Se eu tiver que escolher entre o vulgar e o não vulgar,escolherei o não vulgar,porque é onde se encontra a diferença.Para mim tudo o que é vulgar,cansa me,aborrece me , e chego mesmo a ficar enjoada com algumas situações.Para mim, a verdadeira magia encontra se naquilo que não seja vulgar,em alguma coisa que se possa distinguir dos outros,algo que seja a sua marca de personalidade, e eu adoro personalidades diferentes,pouco usuais, nos dias de hoje,onde tudo é simétrico e robótico .Onde os homens e as mulheres habitantes deste planeta azul,funcionam como peças colocadas num tabuleiro de xadrez.Perderam suas verdadeiras identidades, e nem sequer pensam,em como poderão destacar se pela diferença.

Isso já não se usa!

É esta a famosa frase que tanto ouvimos, e que eu mesma também digo.Mas quando a utilizo,é dentro de contextos,em que faça todo o sentido,não a utilizo como argumento ou desculpa para amenizar qualquer atitude minha,que esteja errada!Aliás se erro, sou a primeira a assumir o meu erro,não sou perfeita,mas raramente os meus erros implicam destruir algo ou alguém.São erros e tento sempre aprender com isso, para que não volte a comete los.

Também não é comum,eu fugir das minhas responsabilidades ou tentar encontrar “bodes expiatórios”,para que sejam eles a arcar com as essas responsabilidades.Lamentavelmente por várias vezes,já eu assumi culpas de actos, que não cometi.Mas disso tenho a perfeita noção que a responsabilidade é inteiramente minha, por não ter sido suficientemente inteligente em certas escolhas,para continuar a viver a minha vida,embora o passado, já me tivesse emitido vários alertas,para que eu aprendesse, essa lição.Dizem que eu vivo muito com o meu passado,mas eu discordo ,porque se eu não tivesse passado,como poderia ser eu ,ser quem sou hoje em dia?Penso que todos deviam aprender,e dizer esta nova frase:

Quem seríamos nós,senão tivéssemos tido um passado?

Soa melhor,verdade?

Normalmente quem adverte os outros para o facto de viver com o seu passado,é alguém que tem algo a esconder ou que fez algo que o envergonha.Eu não me envergonho do meu passado,tenho a minha consciência bem tranquila,e tudo o que possa ter feito, foi para levar avante o que tinha planeado,todos os meus planos de uma vida.Mas nem todos vemos as coisas da mesma forma e por vezes confundimos desculpas,com perdões…E como eu tenho a certeza que as funções que desempenhei, foram feitas com sentimentos puros e genuínos,não as poderia ter desempenhado melhor!Mas cheguei à conclusão que agora é a minha vez,chega de fazer tanto por todos e não fazer nada por mim.Cada um deve ser responsável,por todas as decisões, actos,erros,etc.Eu cansei me de viver apenas porque sou mãe,filha,neta,esposa,quero viver sim,mas agora um pouco mais como a Carla,embora isso tenha provocado desagrado a muitos,porque agora esta Carla,não se cala,não chora,não pede e não implora atenção!

Se acham que me desviei do tema,não. Tudo o que acabei de escrever teve uma directriz principal,o vulgar.Sabem o que originou esta mudança ?

Precisamente isso,o vulgar,a vulgaridade!Eu convivi demasiado tempo com muita vulgaridade,e isso só me desgastou e causou sofrimento.Estive sempre muito consciente de tudo o que se passava à minha volta,mas estupidamente e por teimosia,não queria ver ou simplesmente estava demasiado focada naquilo que para mim era muito importante,a minha saúde,e deixei que todos à minha volta brincassem.E desta última vez em que, o meu estado de saúde complicou,complicou também tudo à minha volta,e ao ter sido cúmplice disso,só agravei ainda mais a minha situação.Nunca me queixei até então de nada,sempre quis fazer tudo sozinha, sem nunca arrastar ninguém comigo, dando sempre a opção de escolha a todos,e no final acabei por ser arrastada para algo.Algo com o qual nunca me identifiquei,a vulgaridade,a mentira,as falsas esperanças

Afinal quem é que são os verdadeiros mestres da ilusão?

Não serão aqueles, a quem abrimos nossos corações , e dessa forma permitimos que nos iludissem, com toda a facilidad. Mas fomos nós quem permitiu que o fizessem, ao dar lhes, a principal ferramenta…. Credibilidade!

Gosto de ser assim diferente,não vulgar, e possuo com muito orgulho uma personalidade muito difícil.Mas porém muito corajosa ,que me leva a enfrentar de cabeça erguida todos os problemas que vão surgindo .Caio muitas vezes,mas rapidamente me levanto, o meu maior erro foi querer amparo,essa foi a minha maior fraqueza!E se existe coisa que tenho a certeza, é que não sou fraca!Até disso eu deixei que me tentassem convencer….Este terá sido um dos maiores e últimos erros da minha vida!Estes erros foram originados por perfeitos mestres da ilusão,nos últimos anos da minha vida,porque deixei que me deslumbrassem com seus truques de magia tão vulgares e banais.As palavras saíam de suas boca,quando as suas atitudes demonstravam o oposto,daquilo que haviam dito.

Cresci muito,e embora tenha sofrido muito,hoje em dia sou imensamente grata,por toda esta lição!Se estou viva e se continuo a lutar,só e apenas agradeço a mim mesma,porque todos duvidaram de mim, e do poder que eu tenho em contrariar as estatísticas,porque sou assim do contra.E hoje em dia continuo a viver na mesma casa,com os mesmos elementos da minha família ,porém existe uma enorme diferença que não existia até há pouco tempo…Estou aqui porque eu quero,e estou consciente de tudo, e não me calarei novamente,perante erros que não fui eu que cometi, e muito menos deixar que me culpabilizem por eles.Estou porque quero e porque sim,mas fui eu quem o decidi!Continuem todos a ser vulgares,não me importo mais,sei que eu não o sou,e quando se tem certeza de quem somos,tudo o que os outros possam ser,não nos afecta mais!Eu costumava ter um escudo que me protegia das más acções praticadas pelos outros,e voltei a ir buscá lo, a um lugar que pensava não voltar mais,o lugar onde havia guardado todas as desilusões e mentiras.Sou um pouco implacável com quem me magoa injustamente.Essa pessoa passa a ser insignificante para mim,é como se estivesse morta,mas viva e matar alguém que continua vivo,é das piores despedidas que se possam fazer,porque quando alguém que gostamos muito morre,o sentimento fica e a saudade vai aumentando,e neste caso particular,o facto dessa pessoa continuar viva ou não,é me totalmente indiferente,e o sentimento que nutri outrora por ela todos os dias morre um bocadinho mais,até que irá chegar o dia, em que terá desaparecido para sempre!

A minha preferência vai para o caminho da felicidade,quem quiser fazer me companhia nele,será bem vindo,mas desta vez terá que se submeter a uma selecção ,porque estou cansada de tanta desilusão!

Espero que continuem a acompanhar o meu blogue e a minha escrita, obrigado e um grande bem haja a todos vós!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s