A sílaba


Toda a manhã procurei uma sílaba.

É pouca coisa, é certo :uma vogal,

Uma consoante, quase nada.

Mas faz me falta. Só eu sei

A falta que me faz.

Por isso a procurava com obstinação.

Só ela me podia defender

Do frio de Janeiro, da estiagem

Do verão. Uma sílaba.

Uma única sílaba.

A salvação.

Poema de Eugénio De Andrade

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s