SÓ SEI QUE NADA SEI…


Olá caros leitores,

A melhor recompensa que podemos ter, quando atingimos os nossos objectivos e alcançamos pequenas vitórias, é sentir felicidade…

Irei dar vos um belo exemplo que tem lugar no mundo animal,e o qual me fascina.

No seu processo de metamorfose,desde que é uma pequena larva em seu casulo,após algum tempo, transforma se num lindo ser… A borboleta!

Este pequeno e frágil ser,passa por um processo de transformação natural da sua espécie,e no final o resultado é lindíssimo!

Podemos então fazer uma breve reflexão sobre processos de transformação, enquanto seres humanos…

Pessoalmente,eu tento sempre evoluir para melhor,para me tornar em quem realmente eu pretendo ser. Sim! Porque estamos todos começados e não estamos acabados!

Nem sempre sou bem sucedida,porque ainda não consegui aceitar,certas situações que infelizmente,deixaram cicatrizes profundas na minha personalidade e ainda no presente, ecoam em minha cabeça…

Por vezes o cansaço apodera se de mim em força, e ganha forma nas minhas atitudes do dia a dia…Não culpabilizo ninguém a não ser a mim,porque sempre fui uma pessoa muito consciente, de tudo o que me rodeia,mas por ter, de alguma forma inocência nos meus sentimentos,permiti que novamente fizessem que eu regredi se, no meu longo processo de reconstrução…

Na verdade, não sou uma pessoa de personalidade fácil…Sou bastante teimosa,e se eu acho que tenho a razão ,não permito a ninguém que ouse sequer tentar dizer que não a tenho, se coloco uma ideia na minha cabeça, por mais errada que seja, não sossego enquanto não a consigo colocar em prática,por vezes erro porque demoro demasiado tempo a fazê lo,mas como eu costumo dizer com muita frequência,prefiro arrepender me do que fiz do que daquilo que gostaria de ter feito,no entanto em nenhuma decisão por mais precipitada que tenha sido ao longo da minha vida até hoje,faltei ao respeito aos outros.

Sempre adorei ser autónoma e ter a minha própria liberdade de escolha em tudo na minha vida.Sempre fui muito responsável em assumir todas as minhas acções, as boas e as más,e por vezes até assumir as que não fui eu que pratiquei,mas é sempre mais fácil culpar os outros de que assumirmos que não somos perfeitos…

Simplesmente, cansei me de ter diariamente a maldade presente na minha vida,e lentamente fui me afastando de quem me fui apercebendo que vibrava com as minhas derrotas…Quando à alguns anos atrás,por ter ficado doente, fui obrigada a ter ajuda profissional ,por não ser um super herói,e porque além do meu estado físico estar bastante fragilizado,o meu estado psicológico estava um verdadeiro caos.E nesses casos a ajuda é extremamente necessária e importante! Não tenho qualquer tipo de vergonha, em o admitir, e coloco o desafio a alguém que queira mandar a primeira pedra!

Embora já tenha aprendido que a vida que tenho que viver é esta,não sinto reconforto nenhum nisso…Realmente tornei me uma pessoa mais forte de personalidade,mas bem mais fria com os demais,não permitindo que qualquer um que faça parte da minha vida.

Tenho cada vez mais medo da maldade do ser humano,das suas atitudes egocêntricas nefastas!

Desenvolvi um síndroma demasiado complicado,que é o síndroma do abandono,por culpa inteiramente da parte de um pai irresponsável, que quando foi finalmente exposto da traição conjugal,que vivia à mais de um ano,decidiu no dia em que os papeis da separação foram finalmente oficializados,tomou outra decisão também, divorciar se de sua filha,uma criança inocente com apenas 4 anos !

Embora tenha sido compensada com todo o amor que uma criança possa desejar ter,por parte de minha mãe,avós maternos e tios paternos que foram para mim,a figura paternal,e não poderia ter tido melhores pais que eles dois!

No entanto,nunca conseguirei desvincular me na totalidade do meu pai biológico,como gostaria,porque o destino decidiu pregar me uma desagradável partida,e herdei da parte paternal, uma doença genética…magnífico não é?

Se pensam que esse pai biológico, algum dia na sua vida se mostrou culpado ou preocupado,esqueçam!Tentou uma reaproximação à uns anos atrás,mas possivelmente terá sido porque tinha se divorciado da mulher pela qual trocou a minha mãe. E 28 anos depois, talvez tenha tido a curiosidade de ver,em quem eu me tinha tornado!

Com toda essa situação provocada por um pai negligente,foi se desenvolvido o desdém pela traição, e digo vos que à coisa que não tenho capacidade para perdoar é a traição, seja ela grave ou menos grave,seja ela praticada por quem for que pertença ao meu restrito mundo!

Foram me atribuídas tantas restrições,por causa da minha condição clínica que aprendi a ser uma sobrevivente,não uma heroína porque os super heróis,não existem na realidade!Mas apenas agradeço esse instinto de sobrevivência,a mim mesma, porque um dia que eu resolva desistir,não haverá ninguém capaz de me convencer do contrário,porque sou dona da minha vida e quem tem o poder de decisão sobre ela sou eu e apenas eu!

Esta doença provocou à dois anos atrás ,em mim uma transformação violenta, porque fiquei insensível com os demais,sejam eles quem forem…Uma vez mais tive que lutar para sobreviver e resistir a uma cirurgia,e contrariar estatísticas …E ainda estou viva ,mas pior como ser humano, sem dúvida nenhuma!

O teste pelo qual passei com distinção,fez me ver com maior nitidez, que eu mereço muito mais e que não irei abandonar este mundo sem antes ter cumprido o meu sonho!

Obrigado!.. O conselho que hoje vos deixo aqui é:

Procurem incansavelmente durante o tempo que for necessário,o que realmente vos faz sentir realizados!

Espero que tenham gostado, obrigado!

2 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s