A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NA EUROPA,O INÍCIO DO CAPITALISMO!

A Revolução Industrial foi um processo de grandes transformações económico-sociais que começou em Inglaterra no século XVIII.

Chamamos de Revolução Industrial o processo que levou à substituição das ferramentas pelas máquinas,da energia humana pela energia matriz e do modo de produção artesanal pelo sistema fabril.

A expansão do comércio internacional dos séculos XVI e XVII,trouxe um extraordinário aumento da riqueza para a burguesia.Isto permitiu a acumulação de capital capaz de financiar o processo técnico e o alto custo de instalação nas indústrias.

Foi em Inglaterra que o fenómeno da industrialização começou e por isso a REVOLUÇÃO INDUSTRIAL INGLESA FOI PIONEIRA.

Vários foram os factores que explicam as razões dessa primazia.

A Inglaterra,possuía capital,uma posição geográfica privilegiada,estabilidade política e também tinha várias manufacturas,que eram grandes oficinas,onde os artesãos guiados pelos mestres,trabalhavam na transformação da matéria-prima em produto final para ser vendido.

Desde o fim da IDADE MÉDIA,parte significativa da população se dirigiu para as cidades,devido à LEI DOS CERCAMENTOS,lei inglesa,que permitia que as terras comuns utilizadas pelos camponeses fossem cercadas e transformadas em pastos para a criação de ovelhas,de onde extraiam uma das principais matérias-primas dessa época, a LÃ.

Devido a estes factos,os camponeses eram obrigados a irem para as cidades,em busca de sustento.

Nas cidades,sujeitavam se a salários degradantes,a condições de vida sub-humanas,e às severas normas de disciplina impostas pelos contramestres nas manufacturas.Mulheres e crianças também trabalhavam nessas manufacturas,mas recebiam menos que os homens.

Este processo concentrou a riqueza nas mãos de uma elite e com isso,a miséria e a insalubridade em que viviam aumentaram significativamente.

Com todos estes factores,a ascensão da burguesia ao poder evidenciou se, e como tal é feita uma aliança entre monarcas e burguesia.O País converteu se assim a uma MONARQUIA CONSTITUCIONAL PARLAMENTARISTA,na qual o poder do rei estava submetido ao Parlamento,como consequência a Nobreza e o Clero enfraqueciam.

Tudo isso também influenciou as relações sociais,pois começa se a notar uma DIVISÃO SOCIAL em duas classes, a dos PROPRIETÁRIOS e a dos OPERÁRIOS.

Os OPERÁRIOS,ao tomarem consciência da sua condição de explorados,organizam se, surgindo SINDICATOS,grupos organizados de trabalhadores que reivindicavam melhorias nas suas condições.

A criação de SINDICATOS surge com base das ideias de KARL MARX, um alemão com ideais liberais,tais como,derrubar o mundo antigo da BURGUESIA e do CONSERVADORISMO,incentivou a uma REVOLUÇÃO SOCIALISTA,por um sentido à luta do proletariado,levando acabo,GREVES ,como forma de protesto,em busca de melhores salários e condições de vida.Todas essas ideias eram baseadas no ILUMINISMO,que defendia a IGUALDADE,A FRATERNIDADE E A LIBERDADE PARA TODOS.

Com a REVOLUÇÃO INDUSTRIAL foi notório o alto avanço tecnológico,que possibilitou, a troca de ferramentas e da energia humana,pelas máquinas.

Foi uma fase de encerramento da transição entre o FEUDALISMO e o CAPITALISMO,onde o CAPITALISMO se tornou o sistema financeiro e económico vigente,e novas relações entre CAPITAL e TRABALHO foram impostas.A burguesia industrial buscava maiores lucros,com menores custos e produção acelerada.Numa fase inicial,a REVOLUÇÃO afectou a produção de bens de consumo,e depois os bens de produção.

A partir desse novo sistema,as cidades começaram a crescer bruscamente.

O IMPERIALISMO também ganhou lugar com a sua política de expansão e domínio territorial,pois as potências capitalistas precisavam de mercados externos que servissem de um apoio para os seu excedente de mercadorias.

O IMPERIALISMO foi substituído pelo NACIONALISMO,com o apogeu da BURGUESIA INDUSTRIAL.

O NACIONALISMO consiste em uma ideologia e movimento político,baseados na consciência da nação,que exprimem a crença na existência de certas características comuns em uma comunidade nacional ou supranacional,e o desejo de modelá las politicamente.

O NACIONALISMO ganhou valor na EUROPA,a partir do século XVIII,com a construção de um ESTADO-NAÇÃO,mais democrático,cidadãos em vez de súbitos,por influência do ILUMINISMO.

Enquanto que os restantes países europeus continuaram com o seu desenvolvimento económico e industrial,PORTUGAL viu o seu território transformado em campo de batalha,as cidades constantemente pilhadas pelos exércitos estrangeiros e a indústria estagnada.

EM PORTUGAL vivia se em termos de economia de mercados fechados como os das ex-colónias.

Vivia se também um clima de grande instabilidade política,sonhado com ideias liberais,empenhando se na IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA,como solução para todos os problemas da NAÇÃO.

No século XVIII,as ambições coloniais de PORTUGAL,centraram se no BRASIL e nalguns entrepostos em ÁFRICA e na ÁSIA.O BRASIL tornou se até ao século XIX a “jóia” do IMPÉRIO PORTUGUÊS.

Após,mais um golpe de estado,em 1851,o marechal SALDANHA estabeleceu uma nova etapa política em PORTUGAL,designada por REGENERAÇÃO.

Esse movimento fomentado do CAPITALISMO,encerrava uma longa fase de conflitos entre FACÇÕES LIBERAIS,chegando se à PAZ SOCIAL através da CARTA CONSTITUCIONAL DE 1826.

Através do governo regenerador de FONTES PEREIRA DE MELO foi levada a cabo a política de obras públicas,tais como,estradas,caminhos de ferro,pontes,portos,telégrafo e telefones,na tentativa de retirar PORTUGAL do atraso económico que se encontrava.

Incentivou também o incremento da actividade produtiva agrícola e industrial,criando o 1º MERCADO NACIONAL, de forma a alargar as relações entre PORTUGAL E OS PAÍSES EUROPEUS evoluídos na civilização industrial.

Este desenvolvimento de infraestruturas apenas foi possível devido ao investimento particular estrangeiro,que originou o aumento do défice das finanças públicas,agravando se de tal forma que após a falência de alguns bancos ingleses que eram os fiadores do estado português,PORTUGAL em 1892,viu se obrigado a declarar bancarrota.

Devido a esta crise e colapso no sistema financeiro do país,deu se uma estagnação do crescimento da riqueza.

PORTUGAL tornou se dependente de matérias-primas,de capitais privados estrangeiros que eclodiu numa divida externa.

Neste período houve a intensificação da IDEOLOGIA REPUBLICANA.

De forma a mostrar o descontentamento com a monarquia,dá se a 1ª TENTATIVA REVOLUCIONÁRIA,no PORTO,em 1891.

Após a ditadura de JOÃO FRANCO e o REGICÍDIO,o desgaste da monarquia evidencia se.

ASSIM,A 5 DE OUTUBRO DE 1910,É PROCLAMADA O FIM DA MONARQUIA E É IMPLANTADA A REPÚBLICA PORTUGUESA.

Escrevi hoje um pouco sobre a história,de forma a dar a compreender melhor ,aos meus leitores como foi criado o CAPITALISMO e como ele se tornou tão importante no desenvolvimento de tudo o que rodeie o ser humano.A través da história podemos ter a verdadeira consciência de como certos aspectos evoluíram em nossas vidas.

Espero que gostem e que sobretudo entendam a verdadeira natureza do ser humano!

2 comentários sobre “A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NA EUROPA,O INÍCIO DO CAPITALISMO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s